Iniciativas e Projetos
“Engenharia Solidária”

O conceito de ENGENHARIA SOLIDÁRIA, promovida pela Engenho&Obra, inclui iniciativas que possam significar benefícios reais para as populações num modelo de desenvolvimento inclusivo e sustentável e capaz de gerar educação, saúde, cultura, lazer, saneamento, habitação, energia, mobilidade e segurança, através da participação ativa da Comunidade Académica em ações de Responsabilidade Social. A Engenho&Obra dinamiza a aplicação da engenharia em contexto social para dar respostas eficazes a problemas reais, em articulação com outras áreas do conhecimento. A participação nesta iniciativa proporciona aos alunos/as uma experiência em contexto real e em equipas multidisciplinares, composta por aprendizagens não formais na vertente do voluntariado, da solidariedade e da cidadania ativa numa oferta extra – curricular de desenvolvimento técnico e pessoal com averbamento no Diploma de Curso, cada vez mais valorizadas no mercado de trabalho. A iniciativa ENGENHARIA SOLIDÁRIA integra a noção de que TODOS/AS PODEMOS SER AGENTES TRANSFORMADORES, permitindo aos intervenientes com a sua experiência, o seu saber e a sua vontade participar em ações de divulgação e sensibilização; Iniciativas conjuntas de apoio social; Estágio curricular; Grupos de trabalho de desenho de projeto; Missões nos Países da Lusofonia. (desde 2018)

Veja a galeria de imagens da intervenção “Engenharia Solidária – Clube Propaganda da Natação (CPN)” 2018 aqui.




Exposição “E&O: 12 anos de Desenvolvimento e Cooperação”

Esta exposição pretendeu relembrar e divulgar todo o histórico da E&O durante os 12 anos de existência, celebrados em 2018, evidenciando as iniciativas nas quais participou recorrendo a fotografias, posters e outro material em arquivo. A iniciativa tinha igualmente como objetivo reforçar a Missão da E&O, criando um processo de proximidade e de interação com diferentes públicos no entendimento da atividade, na sensibilização para a causa e no convite à participação.

Veja a nossa exposição aqui. Registo fotográfico aqui.




“Cowork Social”

Um projeto financiado pelo mecanismo EEA Grants e gerido pela Fundação Calouste Gulbenkian, destinado a jovens dos 18 aos 30 anos da Grande Área Metropolitana do Porto. Foi dinamizado no Porto e em S. João da Madeira. O Projeto resulta de uma parceria com a Junta de Freguesia de Paranhos, a Associação Ecos Urbanos, o Coworking de São João da Madeira e a empresa RH Positivo e visou capacitar e potenciar jovens desempregados(as) para o empreendedorismo de inovação social (2015-2016).

Veja a galeria de imagens do projeto “Cowork Social - Promoção do Empreendedorismo de Inovação Social” aqui.






“Ao Sul”

Projeto de intervenção para a sensibilização da opinião pública portuguesa para as realidades económicas, sociais, culturais e ambientais dos países em desenvolvimento, nomeadamente da Província de Malange em Angola: conceção e a implementação de ações concertadas de Educação e Desenvolvimento, nas zonas Norte, Centro e de Lisboa e Vale do Tejo. O Projeto inclui a elaboração de um documentário em Angola, designado “Viver Ao Sul”, que envolve ativamente as comunidades locais de Malange na sua conceção e realização. Apoiado e financiado pelo IPAD (2008 / 2010).

Veja a galeria de imagens do projeto “Ao Sul” aqui.













“ELAS, no Norte e no Sul: as Mulheres no Desenvolvimento”

Um Projeto destinado à capacitação e inclusão das mulheres, para sensibilizar a sociedade portuguesa para a necessidade de reconhecer e apoiar o papel das Mulheres no Desenvolvimento Global, nomeadamente no Sul, a capacitar mulheres rurais, artesãs e empresárias do Norte para analisar e intervir nos processos de desenvolvimento global. Autor: AJPaz, participação da E&O no Consórcio promotor. Apoiado e financiado pelo IPAD (2008 / 2010).


"Lés a Lés, Solidariedade Global"

Um Projeto que teve como principal finalidades sensibilizar e mobilizar as/os agentes locais de desenvolvimento para um consumo responsável e sustentável, reforçar modelos sustentáveis de desenvolvimento socioeconómico e alargar as práticas de Educação para o Desenvolvimento a territórios locais e rurais em Portugal. Autor: AJPaz, participação da E&O, como Entidade Parceira. Apoiado e financiado pelo IPAD (2008 / 2010).




“La'o Hamutuk Ba Dame - Centro Comunitário de Alto Balide”

Projeto de construção de um Centro Comunitário, na aldeia de Alto Balide, Díli, Timor-Leste. Financiado com verbas próprias da FENPROF (2007 / 2010).

Veja a galeria de imagens do projeto “La'o Hamutuk Ba Dame - Centro Comunitário de Alto Balide” aqui.




“Teacher Quality in Lusophone Countries”

Participação neste Projeto da Escola Superior de Educação de Lisboa (ESELx), na qualidade de Entidade Associada, no âmbito da iniciativa “EDULINK: Programa de Cooperação ACP-EU para o Ensino Superior”. O Projeto teve como objetivo desenvolver uma rede de formadores, capaz de ministrar formação contínua a professores que se encontram inseridos no sistema educativo e que podem desempenhar o papel de peritos no desenvolvimento da educação básica ao nível regional. Financiado pela Comissão Europeia (2009 / 2011).



“Capacitar para os Pequenos Ofícios” [CPO]

Projeto que pretendeu promover a inovação social apoiando a inclusão social de mulheres desempregadas da Freguesia de Paranhos (Porto), fomentando a aquisição de competências, em contexto formal e não formal, visando o seu sucesso pessoal e profissional. Apoiado pela Junta de Freguesia de Paranhos e financiado pelos Prémios CEPSA Ao Valor Social (2012/2013).


“Habilitar = Desenvolvimento = Sustentabilidade”

Da Associação Portuguesa de Deficientes (APD), um dos projetos vencedores do Programa Cidadania Ativa de 2013, gerido pela Fundação Calouste Gulbenkian. O objetivo deste projeto foi aumentar o conhecimento dos dirigentes, técnicos, trabalhadores e voluntários da APD no domínio da igualdade de oportunidades para pessoas com deficiência, a fim de permitir uma maior eficácia nas ações a realizar neste domínio. Pretendeu também ampliar as suas competências na área da gestão e empreendedorismo social, a fim de melhorar a eficiência e a transparência da associação e a sua sustentabilidade financeira (2013-2014).




“Inter Gera Ação” [IGA]

Em parceria com a Escola Superior de Tecnologias da Saúde do Porto, o qual ganhou o 1º lugar do Concurso EUROPE FOR CITIZENS PROGRAMME, da Comissão Europeia. O Projeto IGA propôs-se criar uma rede de Cidadania, para promover a divulgação dos direitos da Europa e disseminar as melhores práticas, estimulando o diálogo e a interação entre grupos de cidadãos e instituições europeias, para encontrar soluções para diversos tipos de exclusão social, no sentido da justiça social e de uma Europa mais sustentável. Envolveu intervenientes e especialistas diversos de IES, ONG, autoridades locais, estudantes, professores, investigadores e empresários (2013-2015).

Aceda ao website do projeto “Inter Gera Ação" aqui.




“Micro-Agro-Indústrias Auto-Sustentáveis” [MAIAS]

Projeto para desenvolvimento e implantação de 2 Unidades, uma para secagem de peixe e outra para secagem de frutos e legumes, apresentado ao Governo da Guiné-Bissau. Este projeto enquadra-se num Memorando de Entendimento, assinado a 22 de Janeiro 2014 em Bissau, entre a E&O e o Governo da República da Guiné-Bissau. (desde 2014).




“Energias Alternativas”.

Projeto iniciado com a promoção de uma Oficina de Fornos Solares, com ações de formação em Portugal e em Moçambique (desde 2011).


“Climate-KIC, Innovating for low-carbon and climate resilience”.

A E&O integra este programa europeu, que é a resposta do European Institute for Innovation and Technology (EIT) às preocupações dos decisores políticos europeus para garantir que haja uma maior participação nas atividades de pesquisa, ensino e inovação das Comunidades de Investigação e Inovação. Esta Rede Europeia é composta por seis países, Hungria, Itália, Alemanha, Polónia, Espanha e Inglaterra, para além de Portugal e integra instituições académicas, organizações de investigação, empresas, agências públicas e outras organizações (desde 2014).




“Eco-Carvão”

É um projeto desenvolvido no Chade, assente na produção de uma energia alternativa, os briquetes, muito semelhantes ao carvão de madeira, tanto na forma como na combustão, tornando-se uma alternativa perfeita e culturalmente adaptada. A Envodev-Tchad está encarregue do desenvolvimento do projeto no local, contando em Portugal com o apoio da nossa organização e da Coordenadora, Carolina Marques (desde 2014).


“Grande Buba AgroMarPlus” Guiné-Bissau

Tem como parceiros o P.Porto; ISEP; Nantinyan ONG; ADS ONG; Movimento Nac. Soc. Civil para a Paz, Democracia e Desenvolvimento ONG; Ação: Melhorar a Oferta e Segurança Alimentar e a Competitividade nos setores agrícola, da produção animal e das pescas, no âmbito de um ambiente de negócios socialmente responsável e compatível com os Direitos Humanos. Este projeto foi inteiramente desenhado pelo Grupo de Trabalho da parceria E&O+ISEP+IPP(ISCAP), no sentido de criar as condições necessárias para uma intervenção holística de qualidade nas margens do Rio Grande Buba, promovendo-se a estruturação de três eixos: Oferta e a Segurança Alimentar (Eixo 1), Agricultura, Pecuária e Pescas (Eixo 2) e Ambiente de Negócios Socialmente Responsável (Eixo 3). A transversalidade da intervenção e boas práticas nas vertentes da Qualidade, Ambiente e Social apresentou-se como fator inovador numa lógica de acompanhamento “do prado e mar ao prato” no sentido de melhorar a oferta e a segurança alimentar, reforçar a competitividade nos setores agrícola, da produção animal e das pescas, intervindo na cadeia de valor e igualmente dinamizando um ambiente de negócios socialmente responsável (desde 2017).


“ IGA II” Europa

Tem como parceiros o P. Porto – Instituto Politécnico do Porto (ESS); ALISEI ONG (Itália); Integra Institut (Roménia); Ação: Identificar problemas locais e transnacionais de / por cidadãos excluídos, nomeadamente imigrantes e refugiados, a fim de encontrar soluções que contribuam para a promoção da paz e o bem-estar das pessoas. O projeto liderado pela ESS – Escola de Saúde do Porto, propõe trabalhar diretamente com indivíduos e grupos de imigrantes e refugiados e cidadãos locais, organizados em painéis / focus groups para identificar os problemas que atualmente impedem a compreensão do que é ser um cidadão europeu, os seus valores e objetivos e os seus direitos como cidadãos plenos, tentando compreender como esta perspetiva dificulta a aceitação e a abertura para acolher os imigrantes e refugiados que procuram a Europa como destino. Com os indivíduos, seriam recolhidas narrativas abrangentes da sua vida, experiências e valores, para obter uma perceção mais precisa das dificuldades e aspetos positivos da sua integração e para promover a participação cívica dos nacionais de países terceiros que residam legalmente na EU (desde 2018).


“Projeto AMCC – Redução da vulnerabilidade climática em São Tomé e Príncipe” S.T.P.

Tem como parceiros o P. Porto – Instituto Politécnico do Porto, a UTAD - Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, o CIFAP - Departamento de Ciências Florestais e Arquitetura Paisagista da UTAD, a ONG ADADER (São Tomé e Príncipe) e a ALISEI, ONG (Itália); Ação: Ação comunitária integrada e inclusiva de adaptação às mudanças climáticas nas áreas rurais do distrito de Lembá - STP. A participação da E&O neste projeto surge através de convite feito pela entidade ALISEI,ONG de Itália, organização com intervenção continuada em São Tomé e Príncipe, onde executa com êxito projetos nas vertentes ambiental e social. Um dos desafios mais importantes dos próximos anos para São Tomé e Príncipe é a proteção do meio ambiente. As alterações climáticas, com a diminuição das chuvas e o empobrecimento das encostas dos rios, a erosão costeira e as inundações, a poluição de rios, riachos e fontes devido aos produtos químicos, a expansão desordeira das áreas urbanas, o desmatamento e a deterioração das florestas e a perda de biodiversidade, a utilização das áreas com potencialidades agrícolas para outros fins e a deterioração dos solos, são exemplos da vulnerabilidade a que o meio ambiente deste arquipélago está sujeito. A proposta de execução apresentada pela E&O visou, por um lado, estabelecer polígonos de floresta comunitária que servissem as população das comunidade no distrito de Lembá, e por outro, construir viveiros florestais com o objetivo de fornecer plantas para a reflorestação da zona tampão do Parque Obô e para a manutenção dos polígonos florestais, contribuindo desta forma para a melhoria das condições de vida da população do distrito de Lembá, onde mais de 50% da população vive abaixo da linha de pobreza (2017).


“Projeto Energia em Timor-Leste”

Tem como parceiros o P. Porto – Instituto Politécnico do Porto (ISEP/ISCAP), o Banco Asiático de Desenvolvimento (BAsD) e o Governo de Timor. Ação: Apoiar a melhoria do sistema operacional e a profissionalização da atividade da Energia em Timor Leste. Na sequência de reunião bilateral com a representante europeia aquando da participação da E&O no evento realizado pelo Banco Asiático de Desenvolvimento (ADB) e promovido pela AICEP – Portugal Global em Março de 2017, foi considerado relevante e oportuno por ambas as partes a apresentação de uma proposta de intervenção para Timor - Leste na área da Energia. Este projeto constituiria uma excelente oportunidade para se desenhar uma intervenção integrada, multidisciplinar resultante da dinâmica do Grupo de Trabalho da parceria E&O+ISEP+IPP(ISCAP). O setor da Energia é de vital importância para o crescimento económico e desenvolvimento humano e, atualmente, o Governo só consegue cobrar 28.8 milhões de USD de um total de 64.2 milhões de USD de energia gasta. Neste contexto, a proposta de intervenção é consistente com as prioridades do Governo de Timor-Leste e os objetivos da parceria estratégica celebrada com o ADB – Banco Asiático de Desenvolvimento, que pretende apoiar a melhoria do sistema operacional e a profissionalização da atividade da Energia em Timor Leste (desde 2017).


“Gestão energética nos Bairros Sociais” Câmara Municipal Porto

Proposta de estudo para intervenção técnica no âmbito da redução da fatura energética nos bairros sociais, nos clubes desportivos e nas infraestruturas de apoio social (desde 2018).


“GPSI – Gestão de Projetos Sociais de Intervenção”

Trata-se de uma iniciativa deformação de caraterísticas inovadoras enquadrado na valência de Educação para o Desenvolvimento, um produto da E&O que a distingue, composto por formação em sala, trabalho de campo, visita a ONG’s portuguesas e programa turístico na cidade do Porto. É direcionado para dirigentes, técnicos intermédios e superiores de organizações da sociedade civil (OSC) e das estruturas de poder político local dos países da Lusofonia, os quais se deslocam a Portugal por 10 dias (desde 2013).


“Ideias Para Um Programa De Povoamento E Desenvolvimento Integrado Do Interior – MANIFESTO”

Pela importância estratégica de que se reveste e pela atualidade que transporta, o “Manifesto - Ideias Para Um Programa De Povoamento E Desenvolvimento Integrado Do Interior” merece a atenção devida e ser assumido, pelo menos, como um compromisso a intentar. Sobrevem ainda o facto dos conceitos e princípios do documento se inserirem perfeitamente na Missão da E&O, “Melhorar a qualidade de vida das populações de países fragilizados, criando condições que permitam aumentar a sua autonomia”. Neste sentido, a E&O apoia os princípios e conceitos do Manifesto e a promoção e apoio a eventuais iniciativas e sua divulgação (desde 2018).